Menu

Caetano Veloso - Letras e Músicas

Caetano Veloso

Sozinho

Às vezes no silêncio da noite Eu fico imaginando nós dois Eu fico ali sonhando acordado Juntando o antes, o agora e o depois Por que você me deixa tão solto? Por que você não cola em mim? Tô me sentindo muito sozinho Não sou nem quero ser

Caetano Veloso

Força Estranha

Eu vi um menino correndo Eu vi o tempo brincando ao redor Do caminho daquele menino Eu pus os meus pés no riacho E acho que nunca os tirei O sol ainda brilha na estrada e eu nunca passei Eu vi a mulher preparando outra pessoa O tempo

Caetano Veloso

O Leãozinho

Gosto muito de te ver, leãozinho Caminhando sob o sol Gosto muito de você, leãozinho Para desentristecer, leãozinho O meu coração tão só Basta eu encontrar você no caminho Um filhote de leão, raio da manhã Arrastando o meu olhar como um ímã O meu coração é o sol,

Caetano Veloso

Dom de Iludir

Não me venha falar na malícia De toda mulher Cada um sabe a dor e a delícia De ser o que é Não me olhe Como se a polícia andasse atrás de mim Cale a boca e não cale na boca Notícia ruim Você sabe explicar Você sabe entender tudo

Caetano Veloso

O Quereres

Onde queres revólver, sou coqueiro E onde queres dinheiro, sou paixão Onde queres descanso, sou desejo E onde sou só desejo, queres não E onde não queres nada, nada falta E onde voas bem alto, eu sou o chão E onde pisas o chão, minha alma salta E

Caetano Veloso

Qualquer Coisa

Esse papo já tá qualquer coisa Você já tá pra lá de Marrakesh Mexe qualquer coisa dentro, doida Já qualquer coisa, doida, dentro mexe Não se avexe não, baião de dois Deixe de manha, 'xe de manha, pois Sem essa aranha, sem essa aranha, sem essa aranha! Nem

Caetano Veloso

Você É Linda

Fonte de mel Nos olhos de gueixa Kabuki, máscara Choque entre o azul E o cacho de acácias Luz das acácias Você é mãe do sol A sua coisa é toda tão certa Beleza esperta Você me deixa a rua deserta Quando atravessa E não olha pra trás Linda E sabe viver Você me faz

Caetano Veloso

Cajuína

Existirmos: a que será que se destina? Pois quando tu me deste a rosa pequenina Vi que és um homem lindo e que se acaso a sina Do menino infeliz não se nos ilumina Tampouco turva-se a lágrima nordestina Apenas a matéria vida era tão fina E

Caetano Veloso

Alegria, Alegria

Caminhando contra o vento Sem lenço e sem documento No sol de quase dezembro Eu vou O sol se reparte em crimes Espaçonaves, guerrilhas Em cardinales bonitas Eu vou Em caras de presidentes Em grandes beijos de amor Em dentes, pernas, bandeiras Bomba e Brigitte Bardot O sol nas bancas de revista Me enche

Caetano Veloso

Céu de Santo Amaro

Olho para o céu Tantas estrelas dizendo da imensidão Do universo em nós A força desse amor Nos invadiu Com ela veio a paz, toda beleza de sentir Que para sempre uma estrela vai dizer Simplesmente amo você Meu amor Vou lhe dizer Quero você com a alegria de um pássaro Em

Caetano Veloso

Podres Poderes

Enquanto os homens exercem Seus podres poderes Motos e fuscas avançam Os sinais vermelhos E perdem os verdes Somos uns boçais Queria querer gritar Setecentas mil vezes Como são lindos Como são lindos os burgueses E os japoneses Mas tudo é muito mais Será que nunca faremos senão confirmar A incompetência da América católica Que

Caetano Veloso

Tropicália

"Quando Pero Vaz Caminha Descobriu que as terras brasileiras Eram férteis e verdejantes, Escreveu uma carta ao rei: Tudo que nela se planta, Tudo cresce e floresce. E o Gauss da época gravou". Sobre a cabeça os aviões Sob os meus pés os caminhões Aponta contra os chapadões Meu nariz Eu organizo

Caetano Veloso

Você Não Me Ensinou a Te Esquecer

Não vejo mais você faz tanto tempo Que vontade que eu sinto De olhar em seus olhos, ganhar seus abraços É verdade, eu não minto E nesse desespero em que me vejo Já cheguei a tal ponto De me trocar diversas vezes por você Só pra ver se

Caetano Veloso

Vaca Profana

Respeito muito minhas lágrimas Mas ainda mais minha risada Inscrevo, assim, minhas palavras Na voz de uma mulher sagrada Vaca profana, põe teus cornos Pra fora e acima da manada Vaca profana, põe teus cornos Pra fora e acima da man... Ê, ê, ê, ê, ê Dona das divinas tetas Derrama

Caetano Veloso

Sampa

Alguma coisa acontece no meu coração Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi Da dura poesia concreta de tuas esquinas Da deselegância discreta de tuas meninas Ainda não havia para mim, Rita

Caetano Veloso

Felicidade

Felicidade foi-se embora E a saudade no meu peito ainda mora E é por isso que eu gosto lá de fora Porque eu sei que a falsidade não vigora A minha casa fica lá detrás do mundo Onde eu vou num segundo quando começo a cantar O

Caetano Veloso

Garota de Ipanema

Olha que coisa mais linda Mais cheia de graça É ela menina Que vem e que passa Num doce balanço A caminho do mar Moça do corpo dourado Do sol de Ipanema O seu balançado é mais que um poema É a coisa mais linda que eu já vi passar Ah,

Caetano Veloso

Sonhos

Tudo era apenas uma brincadeira E foi crescendo, crescendo, me absorvendo E de repente eu me vi assim completamente seu Vi a minha força amarrada no seu passo Vi que sem você não há caminho, eu não me acho Vi um grande amor gritar dentro de

Caetano Veloso

Oração Ao Tempo

És um senhor tão bonito Quanto a cara do meu filho Tempo, tempo, tempo, tempo Vou te fazer um pedido Tempo, tempo, tempo, tempo Compositor de destinos Tambor de todos os ritmos Tempo, tempo, tempo, tempo Entro num acordo contigo Tempo, tempo, tempo, tempo Por seres tão inventivo E pareceres contínuo Tempo, tempo,

Caetano Veloso

Tigresa

Uma tigresa de unhas negras e íris cor de mel Uma mulher, uma beleza que me aconteceu Esfregando a pele de ouro marrom do seu corpo contra o meu Me falou que o mal é bom e o bem cruel Enquanto os pelos dessa deusa