Menu

Ivan Lins - Letras e Músicas

Ivan Lins

Aos Nossos Filhos (2017)

Perdoem a cara amarrada Perdoem a falta de abraço Perdoem a falta de espaço Os dias eram assim Perdoem por tantos perigos Perdoem a falta de abrigo Perdoem a falta de amigos Os dias eram assim Perdoem a falta de folhas Perdoem a falta de ar Perdoem a falta de escolha Os

Ivan Lins

Iluminados

O amor tem feito coisas Que até mesmo Deus duvida Já curou desenganados Já fechou tanta ferida O amor junta os pedaços Quando um coração se quebra Mesmo que seja de aço Mesmo que seja de pedra Fica tão cicatrizado Que ninguém diz que é colado Foi assim que fez em

Ivan Lins

Aos Nossos Filhos

Perdoem a cara amarrada Perdoem a falta de abraço Perdoem a falta de espaço Os dias eram assim Perdoem por tantos perigos Perdoem a falta de abrigo Perdoem a falta de amigos Os dias eram assim Perdoem a falta de folhas Perdoem a falta de ar Perdoem a falta de escolha Os

Ivan Lins

Desesperar Jamais

Desesperar jamais Aprendemos muito nesses anos Afinal de contas não tem cabimento Entregar o jogo no primeiro tempo Nada de correr da raia Nada de morrer na praia Nada! Nada! Nada de esquecer No balanço de perdas e danos Já tivemos muitos desenganos Já tivemos muito que chorar Mas agora, acho

Ivan Lins

Vitoriosa

Quero sua risada mais gostosa Esse seu jeito de achar Que a vida pode ser maravilhosa... Quero sua alegria escandalosa Vitoriosa por não ter Vergonha de aprender como se goza... Quero toda sua pouca castidade Quero toda sua louca liberdade Quero toda essa vontade De passar dos seus limites E ir

Ivan Lins

Daquilo que eu Sei

Daquilo que eu sei Nem tudo me deu clareza Nem tudo foi permitido Nem tudo me deu certeza... Daquilo que eu sei Nem tudo foi proibido Nem tudo me foi possível Nem tudo foi concebido... Não fechei os olhos Não tapei os ouvidos Cheirei, toquei, provei Ah Eu! Usei todos os sentidos Só não

Ivan Lins

Depende de Nós

Depende de nós Quem já foi ou ainda é criança Que acredita ou tem esperança Quem faz tudo pra um mundo melhor Depende de nós Que o circo esteja armado Que o palhaço esteja engraçado Que o riso esteja no ar Sem que a gente precise sonhar Que os ventos

Ivan Lins

Bilhete

Quebrei o teu prato Tranquei o meu quarto Bebi teu licor Arrumei a sala Já fiz tua mala Pus no corredor Eu limpei minha vida Te tirei do meu corpo Te tirei das entranhas Fiz um tipo de aborto E por fim nosso caso acabou Está morto Jogue a cópia das chaves Por debaixo

Ivan Lins

Vieste

Vieste na hora exata Com ares de festa e luas de prata Vieste com encantos, vieste Com beijos silvestres colhidos pra mim Vieste com a natureza Com as mãos camponesas plantadas em mim Vieste com a cara e a coragem Com malas, viagens pra dentro de mim Meu amor Vieste

Ivan Lins

Somos todos iguais nesta noite

Somos todos iguais nesta noite Na frieza de um riso pintado Na certeza de um sonho acabado É o circo de novo... Nós vivemos debaixo do pano Entre espadas e rodas de fogo Entre luzes e a dança das cores Onde estão os atores.. Pede a banda Prá tocar um

Ivan Lins

Bandeira do Divino

Os devotos do Divino vão abrir sua morada Pra bandeira do menino ser bem-vinda, ser louvada, ai, ai Deus nos salve esse devoto pela esmola em vosso nome Dando água a quem tem sede, dando pão a quem tem fome, ai, ai A bandeira acredita

Ivan Lins

Madalena

Oh! Madalena O meu peito percebeu Que o mar é uma gota Comparado ao pranto meu... Fique certa Quando o nosso amor desperta Logo o sol se desespera E se esconde lá na serra... Oh! Madalena O que é meu não se divide Nem tão pouco se admite Quem do nosso amor

Ivan Lins

Novo Tempo

No novo tempo, apesar dos castigos Estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer No novo tempo, apesar dos perigos Da força mais bruta, da noite que assusta, estamos na luta Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver Pra que

Ivan Lins

Ai, ai, ai, ai, ai

Nosso amor é uma verêda Onde a lua se derrama Somos lenha e labarêda Uma paixão em plena chama... Sei que a vida tá brabeira Tanto amor na corda bamba Que alegria é passageira Frágil como porcelana... É às vezes tudo é lindo Às vezes tudo engana Maaaaaaaaaass! Basta um beijo teu

Ivan Lins

Lembra De Mim

Lembra de mim! Dos beijos que escrevi Nos muros a giz Os mais bonitos Continuam por lá Documentando Que alguém foi feliz... Lembra de mim! Nós dois nas ruas Provocando os casais Amando mais Do que o amor é capaz Perto daqui Há tempos atrás... Lembra de mim! A gente sempre Se casava ao luar Depois jogava Os nossos

Ivan Lins

Abre Alas

Abre alas pra minha folia Já está chegando a hora Abre alas pra minha bandeira Já está chegando a hora Apare os teus sonhos que a vida tem dono E ela vem te cobrar A vida não era assim, não era assim Não corra o risco de ficar

Ivan Lins

Cartomante

Nos dias de hoje é bom que se proteja Ofereça a face pra quem quer que seja Nos dias de hoje esteja tranqüilo Haja o que houver pense nos seus filhos Não ande nos bares, esqueça os amigos Não pare nas praças, não corra perigo Não fale

Ivan Lins

Guarde nos Olhos

Guarde nos olhos A água mais pura da fonte Beba esse horizonte Toque nessas manhãs Guarde nos olhos A gota de orvalho chorado Guarde o cheiro do cravo Do jasmim, do hortelã Guarde o riso Como nunca se fez Corra os campos Pela última vez Guarde nos olhos A chuva que faz as enchentes Vai

Ivan Lins

A Bandeira do Divino

1. Os devotos do divino Vão abrir sua morada Pra bandeira do Menino Ser bem-vinda, ser louvada, ai, ai 2. Deus vos salve esse devoto Pela esmola em vosso nome Dando água a quem tem sede Dando pão a quem tem fome, ai, ai 3. A bandeira acredita Que a

Ivan Lins

Começar De Novo

Começar de novo e contar comigo Vai valer a pena ter amanhecido Ter me rebelado, ter me debatido Ter me machucado, ter sobrevivido Ter virado a mesa, ter me conhecido Ter virado o barco, ter me socorrido Começar de novo e contar comigo Vai valer a pena ter