Menu

João Bosco - Letras e Músicas

João Bosco

Papel Machê

Cores do mar, festa do sol Vida é fazer Todo o sonho brilhar Ser feliz No teu colo dormir E depois acordar Sendo o seu colorido Brinquedo de Papel Machê...(2x) Dormir no teu colo É tornar a nascer Violeta e azul Outro ser Luz do querer... Não vai desbotar Lilás cor do mar Seda cor de

João Bosco

A Nível De

Vanderley e Odilon são muito unidos e vão pro Maracanã todo domingo criticando o casamento e o papo mostra que o casamento anda uma bosta... Yolanda e Adelina são muito unidas e se fazem companhia todo domingo que os maridos vão pro jogo. Yolanda aposta que assim a nível de Proposta o casamento anda uma

João Bosco

Corsário

Meu coração tropical está coberto de neve, mas Ferve em seu cofre gelado E à voz vibra e a mão escreve mar Bendita lâmina grave que fere a parede e traz As febres loucas e breves Que mancham o silêncio e o cais Roserais, Nova Granada de

João Bosco

Memória da Pele

Eu já esqueci você Tento crer Nesses lábios que meus lábios sugam de prazer Sugo sempre Busco sempre A sonhar em vão Cor vermelha carne da sua boca, coração Eu já esqueci você, tento crer Seu nome, sua cara, seu jeito, seu odor Sua casa, sua cama Sua carne, seu suor Eu

João Bosco

De Frente Pro Crime

Tá lá o corpo Estendido no chão Em vez de rosto uma foto De um gol Em vez de reza Uma praga de alguém E um silêncio Servindo de amém... O bar mais perto Depressa lotou Malandro junto Com trabalhador Um homem subiu Na mesa do bar E fez discurso Prá vereador... Veio o camelô Vender! Anel, cordão Perfume barato Baiana Prá

João Bosco

O Rancho da Goiabada

Os bóias-frias quando tomam umas biritas Espantando a tristeza Sonham , com bife à cavalo, batata frita E a sobremesa É goiabada cascão, com muito queijo, depois café Cigarro e o beijo de uma mulata chamada Leonor, ou Dagmar Amar, um rádio de pilha um fogão jacaré a

João Bosco

Quando o Amor Acontece

Coração Sem perdão Diga fale por mim Quem roubou toda a minha alegria O amor me pegou Me pegou pra valer Aí que a dor do querer Muda o tempo e a maré Vendaval sobre o mar azul Tantas vezes chorei Quase desesperei E jurei nunca mais seus carinhos Ninguém tira do amor Ninguém

João Bosco

Ronco da Cuica

Roncou, roncou Roncou de raiva a cuíca Roncou de fome Alguém mandou Mandou parar a cuíca, é coisa dos home A raiva dá pra parar, pra interromper A fome não dá pra interromper A raiva e a fome é coisas dos home A fome tem que ter raiva pra

João Bosco

Incompatibilidade de Gênios

Dotô, jogava o Flamengo, eu queria escutar. Chegou, Mudou de estação, começou a cantar. Tem mais, Um cisco no olho, ela em vez de assoprar, Sem dó falou, sem dó falou ,que por ela eu podia cegar. Se eu dou, Um pulo, um pulinho, um instantinho no bar, Bastou, Durante dez noites

João Bosco

Falando Sério

Você não tem limite, você não tem hora Liga pra brincar com o meu sentimento Faz proposta que sempre me apavora Sabe o que é amar e ta perdendo tempo Você me provoca eu entro no seu jogo Sabe dar as cartas sabe me ganhar Me coloca

João Bosco

O Bêbado e a Equilibrista

Caía a tarde feito um viaduto E um bêbado trajando luto Me lembrou Carlitos A lua tal qual a dona do bordel Pedia a cada estrela fria Um brilho de aluguel E nuvens lá no mata-borrão do céu Chupavam manchas torturadas Que sufoco! Louco, o bêbado com chapéu coco Fazia irreverências

João Bosco

Bijuterias

Em setembro Se Vênus me ajudar Virá alguém Eu sou de virgem E só de imaginar Me dá vertigem Minha pedra é ametista Minha cor, o amarelo Mas sou sincero Necessito ir urgente ao dentista Tenho alma de artista E tremores nas mãos Ao meu bem mostrarei No coração. Um sopro e uma ilusão Eu

João Bosco

Mestre sala dos mares

Há muito tempo nas águas Da guanabara O dragão no mar reapareceu Na figura de um bravo Feiticeiro A quem a história Não esqueceu Conhecido como Navegante negro Tinha a dignidade de um Mestre-sala E ao acenar pelo mar Na alegria das regatas Foi saudado no porto Pelas mocinhas francesas Jovens polacas e por Batalhões de mulatas Rubras

João Bosco

Hoje Eu Quero Te Amar

Meu amor me espere vou logo chegar Vá ligando o chuveiro Prepare o jantar Põe o vinho no gelo Hoje eu quero te amar! O batom que eu gosto pra eu te beijar Use aquele perfume pra me enfeitiçar Uma flor nos cabelos Hoje eu quero te amar! Deixe a

João Bosco

Desenho de Giz

Quem quer viver um amor Mas não quer suas marcas, qualquer cicatriz Ah, ilusão, o amor Não é risco na areia, desenho de giz Eu sei que vocês vão dizer A questão é querer, desejar, decidir Aí diz o meu coração Que prazer tem bater se ela não

João Bosco

Coisa Feita

Sou bem mulher de pegar macho pelo pé Reencarnação da Princesa do Dao.....mé Eu sou marfim, lá das Minas do Salomão Me esparramo em mim, lua cheia sobre o carvão Um mulherão, balangadãs, cerâmica e sisal Língua assim, a conta certa entre a baunilha e o

João Bosco

Jade

Aqui, meu irmão, ela é coisa rara de ver E joia do Xá, retina de um mar De olhar verde já derramante Abriu-se Sézamo em mim Ah! meu irmão aqualouca tara que tem ímã Mergulha no ar, me arrasta, me atrai Pro fundo do oceano que dá Pra

João Bosco

Agnus Sei

Faces sob o sol, os olhos na cruz Os heróis do bem prosseguem na brisa na manhã Vão levar ao reino dos minaretes A paz na ponta dos arietes A conversão para os infiéis Para trás ficou a marca da cruz Na fumaça negra vinda na brisa

João Bosco

Linha de Passe

Toca de tatu, lingüiça e paio e boi zebu Rabada com angu, rabo-de-saia Naco de peru, lombo de porco com tutu E bolo de fubá, barriga d'água Há um diz que tem e no balaio tem também Um som bordão bordando o som, dedão, violação Diz um

João Bosco

Kid Cavaquinho

Óia que foi só pega no cavaquihno Pra nego bater Mas se eu contar o que é que pode Um cavaquinho os "home" não vai crer Quando ele se fere fere firme Dói que nem punhal Quando ele invoca até parece Um pega na geral Genésio a mulher do