Menu

O Teatro Mágico - Letras e Músicas

O Teatro Mágico

O Anjo Mais Velho

O dia mente a cor da noite E o diamante a cor dos olhos Os olhos mentem dia e noite a dor da gente Enquanto houver você do outro lado Aqui do outro eu consigo me orientar A cena repete, a cena se inverte Enchendo a minh'alma

O Teatro Mágico

Zaluzejo

Ah eu tenho fé em Deus... né? Tudo que eu peço ele me ouci... né? Ai quando eu to com algum pobrema eu digo: Meu Deus! me ajuda que eu to com esse problema! Ai eu peço muito a Deus... ai eu fecho meus olhos...

O Teatro Mágico

Ana e o Mar

Veio de manhã molhar os pés na primeira onda Abriu os braços devagar e se entregou ao vento O sol veio avisar que de noite ele seria a lua Pra poder iluminar Ana, o céu e o mar Sol e vento, dia de casamento Vento e

O Teatro Mágico

Pena

O poeta pena quando cai o pano E o pano cai Um sorriso por ingresso Falta assunto, falta acesso Talento traduzido em cédula E a cédula tronco é a cédula mãe solteira O poeta pena quando cai o pano E o pano cai Acordes em oferta, cordel em promoção A

O Teatro Mágico

Você Me Bagunça

Você me bagunça e tumultua tudo em mim Essa moça ousa, é musa e abusa de todo meu sim Você me bagunça e tumultua tudo em mim E ainda joga baixo, eu acho, nem sei Só sei que foi assim Assimila, dissimula, afronta, apronta Diz: "Carrega-me nos

O Teatro Mágico

Camarada D’água

Camarada, d'onde vem essa febre Nossa alegria breve Por enquanto nos deixou Camarada, viva a vida mais leve Não deixe que ela escorregue Que te cause mais dor Caixa d'água guarda a água do dia Não cabe tua alegria Não basta pro teu calor Viva a tua maneira Não perca a

O Teatro Mágico

Nosso Pequeno Castelo

Já longe de tanta fumaça Menina que manda seus beijos com graça Me faça rir, me faça feliz Sentada na areia, brincando com a sorte Não chove não molha Não olhe agora, estou olhando pra você Não olhe agora, estou olhando pra você Me faça um gesto, me

O Teatro Mágico

Quando a Fé Ruge

Se é na sutileza, Que reside a exuberância. Busco ressonância, ...nos ideais do amor. Liquidificaram, As relações da lida. Não há mais-valia Há agonia, há temor. Quem de pé ficará? Se a luta acomodar Diga quem nos dirá? Quem viver, provará! Nossa emancipação! Nossa emancipação! Parece que enferrujou, A bala perdida que me alcança A ferradura que

O Teatro Mágico

Deixa Ser

Dentro de mim Uma reza uma certeza Um canto-correnteza Que me leva a ti A te explicar que a dor Talvez venha nos visitar E se assim for Eu hei de ensinar Por todos os cantos Há um canto escondido Querendo explodir Querendo gritar Coração querendo ser ouvido Deixa ser Deixa nascer Deixa a roda girar

O Teatro Mágico

A Fé Solúvel

É, me esqueci da luz da cozinha acesa de fechar a geladeira De limpar os pés, Me esqueci Jesus! De anotar os recados Todas janelas abertas, onde eu guardei a fé... em nós Meu café em pó solúvel Minha fé deu nó Minha fé em pó solúvel É... meu computador Apagou minha

O Teatro Mágico

Eu Não Sei Na Verdade Quem Eu Sou

Eu não sei na verdade quem eu sou Já tentei calcular o meu valor Mas sempre encontro sorriso e o meu paraíso é onde estou Por que a gente é desse jeito Criando conceito pra tudo que restou? Meninas são bruxas e fadas Palhaço é um homem

O Teatro Mágico

A Pedra Mais Alta

Me resolvi por subir na pedra mais alta Pra te enxergar sorrindo da pedra mais alta Contemplar teu ar, teu movimento, teu canto Olhos feito pérola, cabelo feito manto Sereia bonita sentada na pedra mais alta To pensando em me jogar de cima da pedra mais

O Teatro Mágico

Sonho de Uma Flauta

Nem toda palavra é... Aquilo que o dicionário diz. Nem todo pedaço de pedra Se parece com tijolo ou com pedra de giz Avião parece passarinho Que não sabe bater asa Passarinho voando longe Parece borboleta que fugiu de casa Borboleta parece flor Que o vento tirou pra dançar Flor parece

O Teatro Mágico

Menina

Já sonhei nossa roda gigante esconde-esconde em você Já avisei todo ser da noite que eu vou cuidar de você Vou contar histórias dos dias depois de amanhã Vou guardar tuas cores, tua primeira blusa de lã Menina vou te guardar comigo Menina vou te guardar

O Teatro Mágico

Realejo

Será que a sorte virá num realejo? Trazendo o pão da manhã A faca e o queijo Ou talvez... um beijo teu Que me empreste a alegria... que me faça juntar Todo resto do dia... meu café, meu jantar Meu mundo inteiro... que é tão fácil de enxergar...

O Teatro Mágico

Sintaxe à Vontade

Sem horas e sem dores Respeitável público pagão Bem-vindos ao Teatro Mágico Sintaxe à vontade A partir de sempre Toda cura pertence a nós Toda resposta e dúvida Todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser Todo verbo é livre para ser direto ou indireto Nenhum predicado será

O Teatro Mágico

É Ela

Encontrei no porto atrás da capela Numa bela tarde de sol, lá se dorme em paz Admirei com olhos de aquarela Rascunho pintado na tela, teu mundo sem cor Derramei cera queimada da vela Pequenina alumiava a capela e um santo qualquer Acreditei que porta fechada é

O Teatro Mágico

Pratododia

Como arroz e feijão É feita de grão em grão Nossa felicidade Como arroz e feijão A perfeita combinação Soma de duas metades Como feijão e arroz Que só se encontram depois De abandonar a embalagem Mas como entender que os dois Por serem feijão e arroz Se encontram só de passagem? Me

O Teatro Mágico

Cuida de Mim

Pra falar verdade, às vezes minto Tentando ser metade do inteiro que eu sinto Pra dizer as vezes que às vezes não digo Sou capaz de fazer da minha briga meu abrigo Tanto faz não satisfaz o que preciso Além do mais, quem busca nunca é

O Teatro Mágico

Amanhã… Será?

Se aliança dissipar E sentença for só desamor A tormenta aumentará Quando uma comunidade viva Insurrece o valor da paz Endurecendo em terra em mente Todo biit, byte, e tera Será força bruta a navegar Será nossa herança em terra! Amanhecerá De novo em nós Amanhã, será? Amanhecerá De novo em nós Amanhã, será? O "post"