Menu

Quarteto Coração de Potro - Letras e Músicas

Quarteto Coração de Potro

Sem Ti

Quando eu segui tranqueando no campo do teu olhar Não consegui mais voltar para o meu mundo comum Inebriado com o meigo sorriso que habita este olhar O teu sonho eu quis sonhar pra dois rumos serem um! Eu senti o cheiro das matas nas

Quarteto Coração de Potro

Outra Lua Por Ti

Outra lua por ti... Pedi a noite em silêncio; Quando o 'escuro' nos olhos 'Pingou' saudades no lenço. Dessas que vem revelar-se Serena, em alma 'redonda'; E buscam o rio da guitarra Matando a sede em milonga. Outra lua por ti... Que apaga tantas, mais belas; Pra perfumar os teus sonhos 'Dormindo'

Quarteto Coração de Potro

Tirana do Lenço Florido

Hoje mais pro fim da tarde Vou ‘ tirá ‘ um potro na estrada Que ontem quase que se empacha Correndo boi na ‘canhada’ Mas confesso que é desculpa Pra cruzar no teu ranchinho Que há dias to com essa balda De te pensar com carinho Ato um ‘nó

Quarteto Coração de Potro

Tocando um baio por diante

Não facilita morena, Que este baio é redomão. Vem de bocal bem atado E com as rédeas firmes na mão. Apertei um basto novo No cinchão da barrigueira Pra fazer quase seis léguas Desde lá da cordilheira. Ganhei folga é dia santo, Mas vim bem recomendado, Pra voltar segunda cedo Pois tem

Quarteto Coração de Potro

Chamarrita Romanceira

Chamarrita, te aprochega com tua gana romanceira, que eu avistei, cá de cima, linda "guainita" solteira. Feições de moça direita de bom tino e devoção... Mirada azul que consegue fazer rezar um pagão. Também, daqui, me parece que do outro lado da sala, lhe 'stá cuidando, encantado aquele ajeitando o pala. Junto a

Quarteto Coração de Potro

tal a aurora

Tal a aurora iluminando os campos Num negaceio com a madrugada... Luz que ofusca o lume dos pirilampos Assim são teus olhos, minha amada. Assim são teus olhos, minha amada, Tal a aurora iluminando os campos! O teu olhar renova a esperança Na fé que busca um dia

Quarteto Coração de Potro

São As Luzes Dos Teus Olhos

São as luzes dos teus olhos Que brilham todo horizonte Basto firme no lombilho Onde eu me afirmo Quando as rodadas da vida Quando a solidão mete focinho E a saudade entrometida Vem habitar o rancho desse ser vivente Enegrecendo o brio da vida Então me aprumo a galope Banco essa

Quarteto Coração de Potro

Meu Tordilho Roba Moça

Meu tordilho roba moça Meu tordilho roba moça É bem mais pingo que os outros Porque ainda se requinta Porque ainda se requinta com algum resquício de potro Meu tordilho roba moça Vai do manso ao mais maroto Quando acha que é direito Assombra o lado canhoto Quando acha que é

Quarteto Coração de Potro

Rastros e Saudades

Ao sentir o pé no estribo, meu tordilho estremeceu; Meu coração fica aí, quem parte agora sou eu. Me alcança um mate de estribo, minha prenda, eu não demoro. A tropear me vou gritando, pra que não vejam que choro! Entre o campo e o

Quarteto Coração de Potro

Uma Certa Tropilha

Eu queria um chamamé, mas o chamamé não veio pensei em trança uma polca e ela virou os arreio fui talhando no bordão pra molda uma chamarrita sai entre uma vaneira e uma chamarra bonita Me pulou por desconfiada uma valsita morena que me agradei do

Quarteto Coração de Potro

Morena, Baila Comigo

Morena, baila comigo Suspira o floreio manso, de um rasguido que se estende Junta o que fica e o que vai rumo ao clamor desta farra Aquerenciando o balanço gracioso pra quem compreende Que a escaramuça que me atrai tem requintes de guitarra Assim canta o

Quarteto Coração de Potro

Onde Um Guacho Dobra Os Punho

Dom miraldo estende o braço e arma o laço com perícia Manda que assustem do fundo só pra determe no mundo pra o osco que tem malícia Dom miraldo peala lindo e rindo estende a bolcada Revela pra o castrador que a ciência do

Quarteto Coração de Potro

Tô de Volta, Chamarrita

Chamarrita, chamarrita, diz pra ela que eu voltei Venho com a alma empoeirada das lonjuras que cruzei Trago os arreios judiados e as cordas que arrebentei Lidando com a potrada que pra o serviço domei Só não pude ‘tirᒠas baldas da saudade que aporriei Chamarrita,

Quarteto Coração de Potro

Não Era Pra Ser

Foram três luas manunciando potros E nem sinal de se entregar pras cordas O olhar de mal meio fresteando a franja coiceando a sombra desde o sol acorda era um sereno nas manhãs de maio de quando um bufo despertava a cena falsa quietude atada ao palanque imagem

Quarteto Coração de Potro

Florir Das Açucenas

Em teu olhar o azul do céu. Riso de jardim florido. Tenho ganas de ser vento, Pra acariciar teu vestido. Tenho ânsias veraneiras, Em teus lábios de pitanga; De ser água cristalina A te banhar lá na sanga. Quisera eu ser o sol No florir das açucenas, Para bronzear lentamente Todo teu

Quarteto Coração de Potro

De Semear e Germinar

Para tudo tem o tempo de semear e germinar Não se pode contrariar o tempo Pois há um preço a se pagar A natureza perpetua a vida, mas o tempo é quem da o tempero A estrada encartucha a tropa Não há culatra sem madrinheiro As gerações

Quarteto Coração de Potro

frente ao teu grito de forma

De caixo atado troteia firme o meu mouro Luzindo a estampa de pingo dos meus arreios Me balanceio e tenteio do estrivo a outro Rumo ao povoado no reponte deste anseio. Meu mouro pampa que se embala nas ponteadas Masca o bocal com jeito de redomão Se

Quarteto Coração de Potro

Folcloreando

Não venho de muito perto E pra bem longe é que vou Eu chego quando anoitece Quando amanhece não estou Quem tem lado é boi de canga E alpargata é quem não tem Às vez eu tenho de sobra E volta e meia eu ando sem Pras manhãs de

Quarteto Coração de Potro

Rainha

Aromada flor campeira Com tua permissão me achego Gasto um tanto dos pelegos Dos mormaços e soalheiras Durante a semana inteira Tudo foi normalidade Tirando a capacidade Que tens de seguir meus passos Estar em tudo que faço Sonhos, memórias, vontades Como pode? Esqueci Dos mais básicos sentidos Devo ter desaprendido Respirar longe de

Quarteto Coração de Potro

En El Corazón de Mi Madre

En el corazón de mi madre Encienden brillos de estrellas Y así va dejando huellas De esperanza cariño y fe Y en su destino mujer El amor es una centella En el corazón de mi madre Esta mi "tata" como un sueño Guarda en su pecho el ceño De un