Menu

Vander Lee - Letras e Músicas

Vander Lee

Onde Deus Possa Me Ouvir

Sabe o que eu queria agora, meu bem? Sair, chegar lá fora e encontrar alguém Que não me dissesse nada Não me perguntasse nada também Que me oferecesse um colo ou um ombro Onde eu desaguasse todo desengano Mas a vida anda louca As pessoas andam tristes Meus amigos

Vander Lee

Farol

Você é meu farol Meu talismã, meu sol Meu dia, meu dial Você é meu astral Meu mapa virtual Meu raio-x emocional Você é minha foz Metade de nós Meu adubo, meu sal Você é minha e só E nunca vai ser só Nem de fulano de tal Quando caminho no escuro É por

Vander Lee

Esperando Aviões

Meus olhos te viram triste Olhando pro infinito Tentando ouvir o som do próprio grito E o louco que ainda me resta Só quis te levar pra festa Você me amou de um jeito tão aflito Que eu queria poder te dizer sem palavras Eu queria poder te

Vander Lee

Galo e Cruzeiro

Minha Preta não fala comigo Desde primeiro de Janeiro Ela me deu a mala, eu fui dormir na sala Fiquei sem dinheiro Não tem mais feijoada, nem vaca atolada Rabada ou tropeiro Já fez greve de cama, diz que não me ama Quebrou meu pandeiro Na hora do cruzamento,

Vander Lee

Românticos

Românticos são poucos Românticos são loucos desvairados Que querem ser o outro Que pensam que o outro é o paraíso Românticos são lindos Românticos são limpos e pirados Que choram com baladas Que amam sem vergonha e sem juízo São tipos populares Que vivem pelos bares E mesmo certos vão pedir

Vander Lee

Sonhos e Pernas

Olhe Não venha me mostrar o que você não vê Não venha me provar o que você não crê Não tente se enganar Pense Ninguém pode se dar o que só você tem Ninguém vai te dizer pra onde vai ou de onde vem A estrada é pra

Vander Lee

Meu Jardim

Tô relendo minha lida, minha alma, meus amores Tô revendo minha vida, minha luta, meus valores Refazendo minhas forças, minhas fontes, meus favores Tô regando minhas folhas, minhas faces, minhas flores Tô limpando minha casa, minha cama, meu quartinho Tô soprando minha brasa, minha brisa, meu

Vander Lee

Ninguém Vai Tirar Você de Mim

Não me canso de falar que te amo E que ninguém vai tirar você de mim Nada importa se eu tenho você comigo Eu por você faço tudo Pode crer no que eu digo Sou feliz e nada mais me interessa Não vou ser triste e nem

Vander Lee

Iluminado

Vi o meu sentido confundido, iluminado Vi o sol enluarar, quando viu você Vi a tarde inteira, a Sexta-feira, o feriado Esperando o amor chegar e trazer você Você chegou querendo Tudo que o tempo não te deu E que levou de você Sem saber que você já

Vander Lee

Estrela

Trem do desejo Penetrou na noite escura Foi abrindo sem censura O ventre da morena terra O orvalho vale a flor Que nasce desse prazer Nesse lampejo de dor Meu canto é só pra dizer Que tudo isso é por ti Eu vi Virei estrela Uma jangada à deriva À céu aberto Leva aos

Vander Lee

Alma Nua

Ó, Pai Não deixes que façam de mim O que da pedra Tu fizestes E que a fria luz da razão Não cale o azul da aura que me vestes Dá-me leveza nas mãos Faze de mim um nobre domador Laçando acordes e versos Dispersos no tempo Pro templo do

Vander Lee

Desejo de Flor

As flores vão nascer de amores Vãos, viver E ninguém vai poder mais amputar sua raiz O galho que crescer Os ventos vão reger E quem sabe dançar a sinfonia os homens gris Há margaridas bêbadas sobre os balcões Damas-da-noite no calor de explosões As flores vão nascer Do querer,

Vander Lee

Contra o Tempo

Corro contra o tempo pra te ver Eu vivo louco por querer você Oh, oh, oh, oh Morro de saudade, a culpa é sua Bares, ruas, estradas, desertos, luas Que atravesso em noites nuas Oh, oh, oh, oh Só me levam pra onde está você O vento que sopra,

Vander Lee

Siga Em Paz

E vem você dizer Que o meu calor já não te aquece mais O que devo fazer Se nesse travesseiro já não dorme a paz? E quando amanhecer E o dia me encontrar tão só com meus botões Eu não vou entender Meu corpo só conhece a língua

Vander Lee

Aquela Estrela

Aquele jeito que você me olhou Varreu meu pensamento Todas as coisas saíram do chão Eu me esqueci de tudo Antes que eu me desse conta Já era seu meu querer Foi como o sol que desponta Numa montanha dourada Na terra do faz de conta Pra me banhar de

Vander Lee

Do Brasil

Falar do Brasil sem ouvir o sertão É como estar cego em pleno clarão Olhar o Brasil e não ver o sertão É como negar o queijo com a faca na mão Esse gigante em movimento Movido a tijolo e cimento Precisa de arroz com feijão Que tenha

Vander Lee

Marcha Exército (part. Vanilda Bordieri)

Sinto algo diferente aqui neste lugar Já posso até imaginar o que é É o santo, todo poderoso Que passeia no meio do templo E veio aqui para nos proteger Somos uma arma poderosa e ele vai usar Nos reveste de autoridade E enche de poder E nos diz:

Vander Lee

Ponto de luz

Enquanto houver estrelas A brilhar na minha estrada Pulsarà um coração novo Atràs de um velho sonho Que o tempo não levou Que a força das tormentas não matou Enquanto tocar no ar A mùsica da paisagem Viverão os anjos poetas Luzes e mistèrios Rompendo as fronteiras De um coração sangrando que

Vander Lee

Pensei Que Fosse o Céu

Estou aqui, mas esqueci Minha alma num hotel Meu coração na caneta Meus desejos num papel Eu vinha sem retrovisor Um rosto estranho me chamou E a minha pele não me coube mais A sorte veio e me encontrou Na corda bamba do amor Meus dias nunca mais serão iguais Estava

Vander Lee

Eu e Ela

Gotas de amor, girassol Mares de sal, beijo floral Pra falar nesse tempo, qual? Do ventre exposto ao sol Das flores postas do postal Quantas caras nesse jornal Foi quando a sede chamou Pra acordar nosso amor Fiz um tema na mão dela Já fez calor, temporal Você sem mim, tudo