Menu

Xico Bizerra - Letras e Músicas

Xico Bizerra

OFERENDAR

Deixa eu me banhar no orvalho fresco desse teu amor Deixa eu me molhar na cachoeira do teu carinhar Deixa eu me entranhar pelas veredas do teu coração Deixa eu desvendar tua paixão, deixa eu me apaixonar Deixa eu desvendar tua paixão, deixa eu me

Xico Bizerra

Cria do Araripe

ê, baião, ê ê ê baião ê, baião, ê ê ê baião baião, cria do araripe baião, filho de gonzagão baião, espalhado no mundo ê, baião baião, sanfona e zabumba baião, alegria do chão baião, levantando a poeira ê, baião

Xico Bizerra

Oração do Sanfoneiro

Seu sanfoneiro, muito obrigado O meu verso cantado é pra lhe agradecer Por esse xote marcolinizado e o baião gonzagueado Que só tu sabe fazer Com a sanfona 'garrada no peito Sustenidos satisfeitos puxados do coração Bemóis saídos de dedos malinos Verdadeiros bailarinos do balé do meu sertão Santo

Xico Bizerra

Às Mulheres

Bárbaras, dulces, marias, terezas, Fartas correntezas de amor e de paz, Luares tão belos, chuvas de ternura, Brisas de candura, um sonho capaz, Sementes bem férteis de felicidade Do ouro-verdade que a vida reluz, Colheita abundante, quintal infinito, Safrejar bendito, pomares de luz, Tens brilho na alma e força

Xico Bizerra

Se Tu Quiser

Se tu quiser Eu invento um vento pra ventar o amor Uma chuva bem chovida pra chover pé de fulô Pra tu ficar cheirosa e vir dançar mais eu Se tu quiser Poemo um poema bem cheio de rima Acendo a estrela mais bonita lá de cima Faço

Xico Bizerra

Candeeiro Apagado

Quando o candeeiro se apagou E o sanfoneiro cochilou, tu achou de me chamar Prá dançar um forró no escuro, E eu feito fogo no munturo Vendo a luz que a lua dá Tu alumiou meu coração, E sem escuridão eu vou até o sol aparecer, Com esse

Xico Bizerra

Esconderijo do Amor

Pelas terras do bem-querer Nas luas do bem-amar Vou procurando você nos sertões do meu estradar Na sombra do juazeiro, no tronco do jatobá No canto tão alcoviteiro e sábio do sabiá Na areia que um dia foi rio No verde que perdeu a cor Na casa do

Xico Bizerra

Jarrim de Fulô

você é aquele 'jarrim' de fulô que enfeitou a janela do meu coração você é da fogueira todo o calor que me esquentou nu'a noite em que a gente dançou um baião você é meu docinho de buriti o piqui que dá gosto ao meu baião de

Xico Bizerra

Flor de Romã

Flor de romã, tecelã de um novo dia, Flor de romã, artesã da alegria, Um cheiro bom que me invade, cheiro de felicidade, Flor de romã, festejando a manhã, No canteiro dos meus sonhos fecho os olhos para o ontem, Só enxergo o amanhã, Não tenho ouvidos

Xico Bizerra

Torneirinha do Céu

Se a torneirinha lá do céu não se abrir Eu choro, tenho raiva, fico louco Mas se São Pedro resolver contribuir Abra a porta qu'eu chego daqui a pouco E vou chegar feliz que só E todo mundo vai dançar o meu forró balão subindo, nós dançando E

Xico Bizerra

Aroma de Alegria

Se a tristeza bater na minha porta Diga, por favor, que eu não estou Invente uma mentira, Qualquer coisa, não importa: Que eu me mudei, que eu sumi, Que eu viajei com meu amor Pode ser que ela venha disfarçada Perfumada com o aroma da alegria Cuidado, não abra,

Xico Bizerra

Gosto Que Só

Eu gosto que só de um céu estrelado, Sertão enluarado, cheiro de capim, Do jeito matuto da voz do violeiro, Da sombra do juazeiro, da lonjura do fim, Eu gosto que só das 'fartura' de abraço Que arrocham o laço desse nosso amor, Do dom do poeta

Xico Bizerra

Bom de Prosa

Como não sou bom de bolso tenho que ser bom de prosa Viver falando da rosa, saber cantar o amor Tenho que ser bom de verso, fazer um monte de rima Tenho que inventar um clima, qualquer coisa pra espantar a dor Como não sou

Xico Bizerra

Caboclo de Fé

Eu, que tinha feito jura De só deixar meu cariri por derradeiro, Contra a vontade, abandonei o meu terreiro, Por que a chuva insistia em não cair Lá deixei meu pé-de-serra, Também ficou um taco do meu coração, O cheiro bom e o luar do meu sertão, Minha

Xico Bizerra

Você Não Quis

valeu tentar, se por amor VOCÊ NÃO QUIS AQUELA LUA QUE UM DIA TE PROMETI O MEU SORRISO SEMPRE ABERTO A TE SORRIR E O MEU ABRAÇO PRONTO PRA TE ABRAÇAR VOCÊ NÃO QUIS AQUELE BEIJO QUE NUNCA BEIJEI NINGUÉM E DESPREZOU TODO ESSE QUERER-BEM NEM LIGOU PRO SEU

Xico Bizerra

Renda, Amor, Bala e Xaxado

Fuzil no chão, a pancada é o compasso Queda de braço e a argola pra marcar É a peixeira, é o toque do xaxado Labirinto de soldado, mata a dentro a procurar é o rabicho da alpercata, é couro cru mandacaru é o destino do sertão pega

Xico Bizerra

Medo da Solidão

Garanto que não sou de correr com a sela Eu sempre acendi a vela pro meu rumo alumiar O meu segredo é não ter medo de careta Nem do boi da cara preta, nada pode me assustar Da noite escura, do uivo do lobisomem Não tenho

Xico Bizerra

Toró de Alegria

A boa nova que hoje corre na cidade Vai chover felicidade, alegria trovejar Eu vou vexado, botar o pote no terreiro Aguardar o aguaceiro, começou relampejar O santo zé, nesse março dezenove, 'cabou o chove não chove, mandou chuva pro sertão Muito valeu ter 'debuiado' o meu

Xico Bizerra

Menina Bonita

Menina pequena do olho bonito Olhar tão bendito, ah! se fosse pra mim Melhor é deixar o dito por não dito Eu sei, não mereço um olhar lindo assim Menina do olho bonito, pequena Que pena que o mundo seja tão ruim Não posso gozar de tua

Xico Bizerra

On The Balcony Of The Casa Rosada 2

Just listen to that, the voice of Argentina We are adored, we are love Statesmanship is more than entertaining peasants We shall see little man I am only a simple woman who lives to serve Peron in his noble crusade to rescue his people! I was